A GRIPE (INFLUENZA)

A influenza, ou gripe, como é comumente chamada, é prevenível por
vacina. Ela ocorre todos os anos e está entre as viroses mais frequentes
em todo o mundo. Costuma causar complicações principalmente em crianças
pequenas, idosos, gestantes e pessoas com comprometimento da saúde
(portadores de doença respiratória ou cardíaca, obesidade, diabetes,
trissomias, deficiência da imunidade, entre outras).
Estima-se que todos os anos a gripe causada pelo vírus influenza atinja
de 5%-10% dos adultos e de 20%-30% das crianças em todo o mundo. A
infecção pode acarretar hospitalização e morte, principalmente entre os
grupos de maior risco (os muito jovens, idosos ou doentes crônicos).
Acredita-se que todas as epidemias anuais de gripe comum resultem em
aproximadamente 3 a 5 milhões de casos de doenças graves e na morte de
cerca de 250 mil a 500 mil pessoas.

Transmissão:
40 mil gotículas de saliva no ar se espalham durante um simples espirro.
Com elas seguem também os vírus da gripe. Dessa forma eles “viajam” por
aí, se “acomodam” nas superfícies de objetos e passam de uma pessoa para
outra quando atingem as mucosas de boca, nariz e olhos.
O período de transmissão da gripe começa 24 horas antes dos sintomas e
dura de cinco a dez dias após o seu surgimento. Em crianças e pessoas
com imunidade comprometida esse período dura até mais de dez dias.
A gripe é causada por mais de um tipo de vírus influenza, classificados
como A e B, e cada um possui subtipos. Os associados ao tipo A recebem
nomes como, por exemplo, A(H1N1), A(H3N2) e A(H7N9), sendo os dois
primeiros os que circulam entre humanos atualmente. Já os vírus tipo B
são classificados como de linhagem Victoria e linhagem Yamagata.

VACINA INFLUENZA:

Trata-se de vacina inativada, portanto, não tem como causar a doença.
Previne a infecção pelo vírus Influenza (que causa a gripe) contidos nas
vacinas.
Sua formulação contém proteínas de diferentes cepas do vírus Influenza
definidas ano a ano conforme orientação da Organização Mundial da Saúde
(OMS), que realiza a vigilância nos hemisférios Norte e Sul. As cepas
vacinais são cultivadas em ovos embrionados de galinha e, por isso, as
vacinas contêm traços de proteínas do ovo.

Existe a vacina trivalente, com duas cepas de vírus A e uma cepa de
vírus B, disponibilizada na rede pública e privada.
E a vacina quadrivalente, com duas cepas de vírus A e duas cepas de
vírus B, disponibilizada apenas na rede privada.
Quando a apresentação é monodose, ou seja, em seringas prontas com doses
individuais (rede privada), a vacina não contém conservantes. Já a
apresentação multidose (rede pública), como acontece com outras vacinas,
contém timerosal (derivado do mercúrio) como conservante.

Indicação:
Para todas as pessoas a partir de 6 meses de vida, principalmente
aquelas de maior risco para infecções respiratórias, que podem ter
complicações e a forma grave da doença.

Esquemas de doses:
– Crianças de 6 meses a 9 anos de idade: duas doses na primeira vez em
que forem vacinadas (primovacinação), com intervalo de um mês e
revacinação anual.
– Crianças maiores de 9 anos, adolescentes, adultos e idosos: dose única
anual.
– Crianças menores de 3 anos a dose é de 0,25 mL e para os maiores é de 0,5
mL.

Consulte o calendário de vacinação infantil – Clicando aqui

Leave a Comment